Contatos

Azinhaga do Casquilho Nº 1

Phone: +351218540360

Mobile: +351963469546

Web: http://www.elosocial.org/

Espaço de Realização e Transformação

Home/Artigos, Blog, Noticias, Uncategorized/Espaço de Realização e Transformação

Espaço de Realização e Transformação

Trinta anos decorridos sobre a criação do ELO SOCIAL será possível aquilatar o seu impacto sobre as nossas vidas? Será possível avaliar qual o grau de cumprimento dos objetivos para que foi criado e da sua Missão?

Sem dúvida, tarefa difícil senão impossível se a pretensão fosse o rigor quantitativo em matéria de impactos sociais e humanos. Tarefa mais acessível se o objetivo desta minha breve reflexão se confinar a algumas considerações de natureza qualitativa e prosaica sobre os efeitos mais notórios da ação da ELO SOCIAL sobre os seus mais diretos beneficiários: as Pessoas com deficiência intelectual, as suas Famílias e os seus Profissionais. De facto, à exceção dos primeiros, os outros dois pilares que constituem a essência da Instituição são frequentemente vistos apenas como Atores e Agentes da edificação, gestão e desenvolvimento do projeto ELO SOCIAL, mas incluem-se igualmente nos seus principais beneficiários.

Na qualidade de beneficiários, uns e outros obtiveram, ao longo de tantos anos, ganhos assinaláveis resultantes de tamanhos investimentos humanos e materiais efetuados na construção da atual realidade do ELO SOCIAL.

Desde logo, como elemento central deste projeto e da sua missão, importa referirmo-nos às Pessoas com deficiência beneficiárias do Centro de Emprego Protegido, do Centro de Atividades Ocupacionais e do Serviço de Apoio Residencial. De que modo e até que ponto estes serviços têm contribuído para o desenvolvimento, apoio à inclusão social e ao cumprimento das tarefas de desenvolvimento destas pessoas?

Ao Centro de Emprego Protegido chegam diariamente cerca de três dezenas de trabalhadores cheios de entusiasmo e empenho para contribuírem, com o seu desempenho, para a viabilidade económica deste empreendimento produtivo e de prestação de serviços, assegurarem a qualidade, uma resposta eficaz e atempada aos seus clientes das unidades de Lavandaria Industrial, Estofamento, Carpintaria, Jardinagem, Embalamento de Talheres e Apoio ao Serviço de Transporte Adaptado da Câmara Municipal de Lisboa.

O rigor na sua pontualidade e assiduidade, o sentido de responsabilidade, o espírito de colaboração e polivalência, a sua disponibilidade e motivação são atributos inequívocos destes trabalhadores, adquiridos e desenvolvidos ao longo do tempo, através de uma pedagogia pautada pelo estímulo, pela responsabilização e por uma gestão participada na consecução dos objetivos a atingir.

Acima de tudo, para cada um destes cerca de 30 trabalhadores em regime de Emprego Protegido, o seu posto de trabalho significa a sua auto-realização social e profissional e a sua afirmação como pessoas válidas e participantes no todo produtivo da sociedade.

Ao Centro de Atividades Ocupacionais, chegam em cada dia, não com um entusiasmo menor, 74 pessoas em busca da sua realização ocupacional, do desenvolvimento de competências e de uma oportunidade para, com elas, poderem também afirmar-se socialmente.

Quem não reconhece neles o empenho, a satisfação, a prontidão, a alegria e sentido de responsabilidade na execução das tarefas ocupacionais mais variadas, na área do embalamento manual de talheres, na montagem dos bucins elétricos, nas atividades de horticultura, na dobragem dos guardanapos, nos trabalhos de artesanato? À sua medida e quanto as suas aptidões lho permitem, também eles, deste modo, encontram a sua realização através do trabalho e percebem que são úteis à sua comunidade de inserção.

Porém, não se queda na realização destas pequenas tarefas o investimento e afirmação social destas pessoas … Elas são atletas de natação e desportos variados, são dançarinos de folclore, são instrumentistas de percussão da banda musical “Panteras Negras”, são atores de teatro.

Todos reconhecem que, naturalmente, tais predicados de que hoje estão dotadas estas pessoas e que socialmente lhes têm sido reconhecidos não surgiram por magia. Nasceram da pesquisa, trabalho persistente, abnegação e ousadia de muitos que acreditaram em cada uma delas, no seu potencial e que seria possível nelas semear um sonho, germinar e torná-lo realizável.

Pelo Serviço de Apoio Residencial transitam, em cada semana do ano, 35 pessoas que beneficiam da animação sócio-cultural e dos cuidados pessoais de que carecem, mas que participam ativamente nas tarefas da vida doméstica, em ordem à aquisição de uma maior autonomia e vida independente. No balanço a efetuar destas mais de duas décadas de funcionamento deste Serviço, importa salientar as competências domésticas adquiridas pelos beneficiários, a autonomia sócio-afetiva o desenvolvimento social por eles alcançados e a preservação dos laços e apoio familiar de cada um deles, elemento fundamental e garantia do seu bem-estar emocional e inclusão social.

Em suma, o elemento central da tríade de beneficiários acima identificados apresenta, sem sombra de dúvida, ganhos assinaláveis resultantes da ação do ELO SOCIAL no seu desenvolvimento e realização integral enquanto Pessoa e na sua afirmação como ser eminentemente social.

Ao tecer algumas considerações sobre o beneficiário Família, importa abordá-lo numa perspetiva sistémica, partindo da constatação de que todo o sistema familiar é condicionado no seu equilíbrio, desenvolvimento, auto-realização e percurso de vida, por nele integrar uma pessoa tão especial como é a pessoa com deficiência intelectual.

Sem jamais alienar o papel imprescindível e basilar de suporte ao seu filho/familiar com deficiência, esta tipologia de Família carece de apoios especiais para o seu filho/familiar a nível educativo, médico, social e psicológico, sob pena de ver comprometido o seu equilíbrio e pôr em risco a capacidade de responder às necessidades especiais deste elemento mais vulnerável. Foram, aliás, estas necessidades sentidas e antecipadas que moveram os Pais, no Outono de 1983, à criação do ELO SOCIAL.

Três décadas decorridas sobre o esforço gigantesco da criação da Associação, quais os ganhos recorrentemente expressos e sentidos pelas famílias?

Desde logo e à cabeça de todos eles, a satisfação da integração social e profissional dos seus filhos/familiares e a tranquilidade e segurança que lhes é garantida para o futuro das suas vidas. A melhoria da estabilidade e auto-estima familiar, quer por se reverem no sucesso das realizações dos seus filhos em áreas diversas quer, em alguns casos, pela auto-realização de alguns pais/familiares na qualidade de atores e gestores da própria Instituição.

Outro benefício que decorre da inserção dos seus filhos/familiares no ELO SOCIAL foi a possibilidade da compatibilização da vida profissional e vida familiar dos pais/familiares que, antes da resposta do ELO SOCIAL, se encontrava deveras ameaçada.

Por outro lado, tendo em conta o apoio integrado da resposta diurna-CEP e CAO, com a do Lar Residencial, foi possível às famílias a reorganização e restabelecimento da sua vida social, eventualmente perdida, em razão da maior ou menor dependência do seu filho/familiar. Finalmente, para muitos pais/familiares, o ELO SOCIAL constitui ainda uma réstia de esperança para que também eles possam vir a ser apoiadas numa eventual situação de dependência, devido ao processo de envelhecimento, em estreita ligação com os Entes com quem mantêm uma maior interdependência afetiva.

Já no que respeita aos Profissionais, incumbindo a eles a administração mais direta dos serviços aos utentes/clientes, nas áreas terapêutica, pedagógica e dos cuidados assistenciais de que carecem, são tradicionalmente vistos como os principais agentes da promoção do desenvolvimento, bem-estar e qualidade de vida das pessoas atendidas. Todavia, colocando-nos na perspetiva dos benefícios que decorrem do desempenho das suas funções no ELO SOCIAL, identificamos inúmeros ganhos dignos de nota, ao longo destes anos.

O primeiro e o mais óbvio de todos constitui a oportunidade da sua inserção profissional, da qual decorre a contrapartida remuneratória, elemento imprescindível e concorrente para a sua auto-sustentação económica e do seu agregado familiar.

Por outro lado, os profissionais verdadeiramente vocacionados por esta área social têm encontrado na Instituição um terreno fértil para o seu desenvolvimento e auto-realização pessoal e profissional. A propósito da auto-realização, o enriquecimento humano penso ser indubitavelmente a dimensão mais fortalecida em cada um de nós e que resulta da natureza do trabalho diário com pessoas tão especiais.

Senão, vejamos … Alguém poderá ficar indiferente:

  • À ingenuidade, simplicidade e autenticidade infantis com que estas pessoas diariamente nos brindam?
  • Às expressões de afeto esfuziantes, à amizade tão autêntica e leal, à estima e dedicação quase cegas que nos dedicam?
  • À alegria e felicidade contagiantes espelhadas nos seus rostos e que têm o dom quase milagroso de exorcizar dores e fantasmas que tantas vezes quase nos tolhem e consomem.
  • Aos pensamentos animistas e carregados de humor, às ideias fantasiosas e quase delirantes atrás das quais tantas vezes nos apetece seguir?

Quanto a mim que há mais de 30 anos tenho o privilégio de convosco conviver, gostaria de terminar esta minha reflexão endereçando a Todos e a cada um de Vós um duplo agradecimento:

  • Bem hajam pelo enriquecimento e transformação que em mim operaram e por se terem constituído na melhor reserva de seres humanos em que posso acreditar e confiar…
  • Obrigado a Todos Vós por me terem restituído as minhas asas perdidas e, com elas, poder continuar a voar nos meus sonhos …

Texto: António Martins

By | 2017-01-04T13:00:33+00:00 Julho 22nd, 2015|Artigos, Blog, Noticias, Uncategorized|Comentários fechados em Espaço de Realização e Transformação

About the Author: